Como fazer as medidas
Avaliação funcional - como fazer as medidas                                                   Início

1 - Circunferências (cm)

Fita métrica:

      Permite obter uma medida sem haver compressão da pele. Alguns cuidados para evitar resultados distorcidos: a colocação da fita métrica deverá ser feita sobre a pele nua, nunca por o dedo entre a pele e a fita, marcar com precisão através de um lápis dermográfico o ponto correto de medida, não exercer pressão excessiva, não deixar a fita solta, visualizar a uniformidade do alinhamento da fita. Segue-se os perímetros mais utilizados:
-Pescoço: estando o testado em pé, de frente para o avaliador, passa-se a fita pelo ponto de maior massa muscular.
-Tórax: a medida do perímetro torácico pode ser realizada de duas formas: A primeira, mais empregada no público masculino, tem como ponto de referência o ponto anatômico denominado meso-esternal. O segundo ponto de mensuração, poderá ser empregado em ambos os sexos, e tem como ponto de referência o processo xifóide. É possível ainda, independentemente da tomada torácica que esteja sendo empregada,
coletar o perímetro com o tórax normal (ao fim de uma inspiração normal), máximo expiratório e máximo inspiratório.
-Abdome: o ponto anatômico de referência é a cicatriz umbilical, colocando-se a fita em plano horizontal.
-Cintura: mede-se o perímetro pouco abaixo do abdomem, em plano horizontal.
-Quadril: estando o testado em pé, de lado para o avaliador, circundar a fita métrica no plano horizontal a nível dos pontos trochanterion.
-Braço: estando o testado em pé, de lado para o avaliador, circundar a fita a nível do ponto meso-umeral com o braço ao longo do corpo e um pouco abduzido.
-Braço contraído: o braço deverá posicionar-se em 90 graus em relação ao tronco, o mesmo acontecendo em relação ao antebraço. A fita deverá ser colocada no ponto meso-umeral, estando a musculatura do braço relaxada.
-Antebraço: a fixação da fita deverá ser feita no ponto de maior perímetro, com o braço estendido e relaxado.
-Coxa: com os pés em ligeiro afastamento lateral, a fita deverá ser colocada no ponto meso-femoral, seguindo o plano horizontal.
-Perna: com o indivíduo na posição anatômica básica, a fita deverá ser colocada no ponto de maior perímetro da perna.
-Tornozelo: o testado deverá ficar em pé, de frente para o avaliador, com os pés ligeiramente afastados, distribuindo o peso do corpo em ambas as pernas. Circundar a fita no plano paralelo ao solo a nível dos pontos sphyrions tibiale e fibulare.


2 - Diâmetros (m)

Paquímetro:

      São instrumentos para a mensuração de diâmetros ósseos. Segue-se a apresentação dos pontos anatômicos de referência para uma perfeita mensuração.
-Biepicondiliano do úmero: para o registro deste ponto, será necessário que o avaliado mantenha o braço direito em 90 graus junto com o antebraço, e que se coloque as hastes do paquímetro nas extremidades dos epicondilos umerais lateral e medial.
-Biestilóide: este registro deverá ter como referencial anatômico, para fixação das extremidades do paquímetro os processos estilóides do rádio e ulna, estando o antebraço posicionado em um ângulo de 90 graus em relação ao braço.
-Bicondiliano do fêmur: o avaliado deverá estar sentado, com a coxa em relação ao tronco e à perna formando um ângulo de 90 graus. O paquímetro será fixado nos dois côndilos femorais (lateral e medial).
-Bimaleolar: a referência antômica para fixação das hastes do paquímetro são os maléolos (lateral e medial). O avaliado deverá posicionar o pé com um ângulo de 90 graus em relação à perna.
-Biacromial: corpo relaxado, braços ao longo do corpo, de costas para o avaliador, medir a distância entre os pontos acromiale direito e esquerdo.
-Toráxico transverso: o compasso é colocado na região axilar com as extremidades do paquímetro colocadas entre a segunda e terceira costelas. A mensuração deverá ser feita ao final de uma expiração. Para facilitar a mensuração, as mãos do avaliado deverão se posicionar junto as cristas ilíacas.
-Torácico antero-posterior: uma das extremidades do paquímetro é colocada junto à vértebra da décima segunda costela, e a outra na ponta do processo xifóide; a medida é registrada ao final de uma expiração.
-Biliocristal: as extremidades do paquímetro deverão ser posicionadas junto às cristas ilíacas (direita e esquerda) da pelve.
-Bitrocanteriano: a mensuração deste ponto tem como referenciais os trocânteres do fêmur que estão mais lateralmente, servindo como o ponto de contato para as extremidades do paquímetro.


3 - Dobras cutâneas (mm)

Compasso de dobras cutâneas:

      Permite a mensuração da gordura corporal, através da coleta de pregas (dobras cutâneas). O manuseio do aparelho requer uma atenção especial em alguns pontos: localização do ponto a ser mensurado, apreensão da dobra cutânea e colocação do compasso. Segue-se os principais pontos de coleta das dobras cutâneas:
- Peitoral: em homens é utilizada como referencial a metade da distância entre a linha axilar anterior e o mamilo. Em mulheres o ponto de mensuração passa a ser um terço da distância da linha axilar anterior e a mama.
- Médio axilar: mede-se a dobra cutânea na linha axilar média, na altura do plano que passa pelo ponto xyphion. A dobra cutânea deve ser tomada no sentido longitudinal.
-Tríceps: parte posterior do braço, sobre o tríceps, no ponto medial de uma linha imaginária entre o ponto distral e proximal do tríceps.
-Bíceps: medir a dobra cutânea na projeção do ponto meso-umeral na face anterior do braço, no sentido longitudinal.
-Subescapular: prega oblíqua medida imediatamente abaixo da extremidade do ângulo inferior da escápula.
-Suprailíaca: prega oblíqua medida num ponto médio entre a última costela e a crista ilíaca.
-Supra-espinhal: mede-se na intersecção da linha axilar anterior com a linha horizontal que passa acima do ponto ileoespinale, em sentido oblíquo (45 graus).
-Abdominal: prega vertical ou horizontal tomada a 2,5 cm à direita da cicatriz umbilical.
-Coxa: prega vertical medida na linha média da coxa, a dois terços da distância entre a patela e o quadril.
-Perna: a fixação do compasso, posicionado paralelo ao solo, deverá ser feita na parte medial da perna, no ponto de maior circunferência.